CMN remaneja R$ 5 bilhões em linhas de crédito para beneficiar saneamento e obras do PAC

30 de setembro de 2013

Economia



CMN remaneja R$ 5 bilhões em linhas de crédito para beneficiar saneamento e obras do PAC
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-30/cmn-remaneja-r-5-bilhoes-em-linhas-de-credito-para-beneficiar-saneamento-e-obras-do-pac
Sep 30th 2013, 19:38

Wellton Máximo

Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Conselho Monetário Nacional (CMN) remanejou R$ 5 bilhões nos limites de linhas de crédito que prefeituras e governos estaduais podem fazer no sistema financeiro. O montante saiu de uma linha de crédito para pavimentação e modernização de vias urbanas e foi redistribuído para duas linhas de financiamentos, uma para obras de saneamento e outra para contrapartidas de empreendimentos dos programas de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Minha Casa, Minha Vida.
As linhas para as obras de saneamento tiveram o limite de contratação ampliado em R$ 3 bilhões, de R$ 22,9 bilhões para R$ 25,9 bilhões. Esta é a quantia máxima que os estados e municípios podem pegar emprestada no sistema financeiro. Para a linha que financia as contrapartidas do PAC e do programa habitacional, o teto passou de R$ 5 bilhões para R$ 7 bilhões.
A linha para pavimentação teve o limite diminuído de R$ 9,6 bilhões para R$ 4,6 bilhões. Segundo Bruno Leal, assessor econômico do Tesouro Nacional, a redução do limite de endividamento não prejudicará a execução das obras já selecionadas para o setor. "O novo limite é suficiente para as contratações de curto prazo. As obras que vão sair certamente terão funding [fonte de recursos]. Conforme as necessidades, o CMN poderá ampliar esse limite", explicou.
Segundo Leal, o remanejamento foi necessário para tornar viáveis as operações de crédito para as obras de saneamento e de abastecimento de água que constam de uma lista publicada em março pelo Ministério das Cidades. Em relação ao PAC e ao Minha Casa, Minha Vida, o limite extra permitirá que os estados e municípios peguem dinheiro emprestado para financiar as contrapartidas que precisam injetar nos projetos.
O CMN também definiu as condições dos financiamentos das linhas de crédito do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO). Regulamentado em 14 de agosto, o novo fundo vai financiar projetos de desenvolvimento na região, mas precisava da decisão do CMN para entrar em vigor.
Os financiamentos do FDCO terão juros de 5% a 6,5% ao ano, 20 anos de prazo e um ano de carência (intervalo para o mutuário pagar a primeira parcela). Segundo Bruno Leal, as condições são semelhantes às dos outros dois fundos de desenvolvimento em vigor: Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA) e Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE).


Edição: Aécio Amado
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Espalhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário




Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2018 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni