Alimentos mais caros elevam o custo de vida na cidade de São Paulo, aponta pesquisa do Dieese

6 de novembro de 2013

Economia



Alimentos mais caros elevam o custo de vida na cidade de São Paulo, aponta pesquisa do Dieese
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-11-06/alimentos-mais-caros-elevam-custo-de-vida-na-cidade-de-sao-paulo-aponta-pesquisa-do-dieese
Nov 6th 2013, 13:29

Marli Moreira

Repórter da Agência Brasil
São Paulo- O Índice do Custo de Vida na cidade de São Paulo atingiu alta de 0,64%, em outubro, ante elevação de 0,24%, em setembro, segundo a pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Nos últimos 12 meses, a taxa acumula avanço de 6,16% e de janeiro a outubro, 5,57%.
Na virada de setembro para outubro, o grupo que mais influenciou a elevação do índice foi alimentação com 1,33%, taxa que é 0,41 ponto percentual maior do que no período anterior. O consumidor teve o orçamento pressionado, principalmente, no consumo de produtos in natura que ficaram em média 1,79% mais caros.
Entre os itens estão a carne de frango que subiu 6,17%; as frutas (4,03%) , com maior influência da pêra (13,35%), do maracujá (8,40%) e da laranja (4,20%); carnes bovina (4,04%) e suína (1,69%); leite in natura (1,39%); o arroz (0,54%) e a mandioquinha (19,24%).
O consumidor que precisou ou optou em comer fora de casa gastou 1,23% mais em restaurantes e demais estabelecimentos comerciais do gênero. Já para comprar os alimentos processados foi necessário comprometer 0,82% a mais dos ganhos. As carnes industrializadas subiram 2,27%; o refrigerante (1,42%), o pão francês (1,41%) e o leite em pó (1,33%).
Em habitação houve alta de 0,52% com as despesas de locação, impostos e condomínio, 0,44% maior e nos gastos com a casa, destaque para o botijão de gás (3,57%); serviços domésticos (1,47%) e condomínio (0,73%).
No grupo transporte , o índice ficou em 0,48%,com o efeito dos combustíveis (0,62%) e dos bilhetes dos ônibus interestaduais (5,15%). E em equipamento doméstico, a taxa alcançou 0,5% com destaque para os eletrodomésticos (1,26%).
No acumulado do ano, três dos dez grupos pesquisados apresentaram elevações acima da média: saúde (11,73%), seguido por despesas pessoais (9,15%); educação, leitura e recreação (6,77%). Em alimentação, a taxa oscilou em 5,25% e , em despesas diversas, (4,79%). O grupo habitação teve alta de 3,03%; de transporte (1,74%); recreação (0,96%) e vestuário (0,89%). O único com deflação foi equipamento doméstico (-1,10%).
As famílias mais pobres com renda média de R$ 377,49 tiveram os ganhos mais comprometidos com o aumento médio de preços enfrentando uma elevação de 0,78%. No nível de classe média com renda em R$ 934,17, a taxa oscilou 0,69% e aos que ganham na média acima R$ 2.792,90, o índice foi calculado em 0,58%.
Edição: Valéria Aguiar
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil





You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Espalhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário




Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni