Após denúncias, empresa pode deixar de assessorar Ministério da Fazenda

10 de dezembro de 2013

Economia



Após denúncias, empresa pode deixar de assessorar Ministério da Fazenda
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-10/apos-denuncias-empresa-pode-deixar-de-assessorar-ministerio-da-fazenda
Dec 10th 2013, 15:01

Daniel Lima e Wellton Máximo

Repórteres da Agência Brasil

Brasília - Depois de denúncias de favorecimento, a empresa Partnersnet poderá deixar de prestar assessoria de imprensa ao Ministério da Fazenda. O caso fez dois assessores do ministro da Fazenda, Guido Mantega, suspeitos de receberem benefícios pedirem exoneração, informou a pasta.
Marcelo Fiche, que era chefe de gabinete de Mantega, e Humberto Alencar, adjunto de Fiche, são suspeitos de terem recebido R$ 60 mil em dinheiro vivo da empresa Partnersnet, contratada para prestar assessoria de imprensa ao ministério.
Até o momento o Diário Oficial da União só publicou a exoneração de Humberto Barreto Alencar. Em nota oficial, Fiche informou que pediu ao ministro para sair do cargo assim que voltasse das férias para dedicar-se à sua defesa, mas ainda não retornou.
Segundo Fiche, o afastamento contribuirá para a tranquilidade e a rapidez das investigações. Ele ressaltou que a licitação para a escolha da empresa ocorreu dentro da legalidade e gerou economia aos cofres públicos por causa do método do pregão eletrônico, que oferece menor preço, em vez dos critérios que misturam técnica e preço.
A revista Época publicou que Fiche e Alencar teriam recebido R$ 60 mil em envelopes encaminhados pela Partnersnet. Na véspera da publicação da reportagem, Mantega enviou ofício ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pedindo a investigação pela Polícia Federal do contrato entre a empresa e o Ministério da Fazenda.
De acordo com a revista, uma ex-funcionária da Partnersnet denunciou o superfaturamento do contrato entre a empresa de assessoria de imprensa e o ministério. Responsável pela fiscalização do contrato, Alencar, segundo a publicação, assinava prestações de contas com funcionários fantasmas e excesso de horas trabalhadas para justificar o valor a mais pago pelo ministério. Segundo a ex-funcionária, Alencar e Fiche recebiam parte da diferença.
O advogado da empresa Partnersnet, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse hoje que a empresa acusada não cometeu nenhuma irregularidade na gestão dos trabalhos de assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda. Como prova de correção, ele sugeriu que a Polícia Federal solicite à Justiça a quebra do sigilo bancário da secretária da empresa, acusada de ter recebido em sua conta corrente o valor de R$ 60 mil para repassar aos assessores do Ministério da Fazenda.
O Ministério da Fazenda, por meio da assessoria de imprensa, informou que não comentará o assunto.


Edição: José Romildo
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Espalhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário




Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni