Defasagem entre tabela do IR e inflação fechará o ano em 60%, diz Sindifisco

27 de dezembro de 2013

Economia



Defasagem entre tabela do IR e inflação fechará o ano em 60%, diz Sindifisco
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-26/defasagem-entre-tabela-do-ir-e-inflacao-fechara-ano-em-60-diz-sindifisco
Dec 26th 2013, 14:24

Daniel Lima

Repórter da Agência Brasil


Brasília – A defasagem entre a tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e a inflação deve fechar em 60% este ano, segundo estimativa do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco Nacional). O valor é próximo ao percentual estipulado pela entidade em agosto passado para a Agência Brasil (62%). De acordo com o diretor de Estudos Técnicos da entidade, Luiz Antonio Benedito, o número pode variar dependendo do índice usado para o cálculo.
Para dimensionar o prejuízo dos assalariados com a falta de correção da tabela, Luiz Antonio Benedito explicou que o contribuinte que, em 1996, ganhava nove salários mínimos por mês era isento do Imposto de Renda. Agora, informou, quem ganha dois salários mínimos é obrigado a declarar. A explicação é que, sem a correção da tabela, várias pessoas que eram isentas por causa da renda baixa, foram paulatinamente se tornando contribuintes. "Só para ter uma ideia, isso dá algo próximo a 500% de defasagem", disse à Agência Brasil.
Em 2014, a correção da tabela ficará em 4,5%, que é o centro da meta da inflação estabelecida pelo governo, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No entanto, a projeção de analistas de instituições financeiras para o IPCA está em 5,97%, segundo pesquisa do Banco Central (BC). Este ano, quando a tabela também foi corrigida em 4,5%, o índice deve ficar em 5,72%, conforme a mesma pesquisa.
A tabela do IRPF já vinha sendo corrigida em 4,5% desde 2007, e a previsão era acabar com o uso desse índice em 2010. No início de 2011, no entanto, por meio da Medida Provisória 528, o governo resolveu aplicar o mesmo percentual até 2014.
O secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, já havia antecipado à Agência Brasil que esse percentual continua valendo e que não existe previsão de mudança. "A tabela já está corrigida para o próximo ano. Fica nos 4,5%, como previsto."
O reajuste de 4,5% foi estabelecido porque é o centro da meta estabelecida pelo governo para a inflação. Confirmado o índice da inflação em 2013, o Sindifisco Nacional vem alertando que os contribuintes continuarão a pagar mais impostos, principalmente os assalariados.
O Sindifisco Nacional apoia uma campanha para mobilizar a população para a necessidade de correção da tabela. A campanha Imposto Justo, lançada em maio, pretende convencer os congressistas a reduzir as injustiças fiscais provocadas pela não correção. Os interessados em participar devem preencher o formulário disponível no site do Sindifisco Nacional, no endereço http://www.sindifisconacional.org.br/impostojusto.
Atualmente, na Câmara dos Deputados, existem projetos para correção da tabela do Imposto de Renda, mas, como o Congresso Nacional já entrou em recesso, qualquer mudança só poderá ser aprovada em 2014 para valer no ano seguinte. Um dos projetos eleva a isenção até o valor de R$ 1.877,16. Acima desse valor e até R$ 2.813,25, a alíquota incidente seria 15%, com parcela a deduzir de R$ 140,78. A maior alíquota teria como base de cálculo o valor de R$ 4.687, com parcela a deduzir de R$ 867,46.
Para o Sindifisco Nacional, a correção da tabela do IRPF deveria ser atrelada à evolução de renda do trabalhador. Entraria no cálculo, por exemplo, o rendimento médio mensal das pessoas com 10 anos de idade ou mais, obtido pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), por exemplo. Para a entidade, a tabela do Imposto de Renda não deve ser atrelada a qualquer índice inflacionário. Em contrapartida, os auditores fiscais defendem o fim da isenção da cobrança de Impostos de Renda na distribuição de lucros e dividendos para pessoas jurídicas.
Tabela para o cálculo do IR Pessoa Física para o exercício de 2014, ano-calendário de 2013




Base de cálculo anual em R$


Alíquota %


Parcela a deduzir em R$




Até 20.529,36


-


-




De 20.529,37 até 30.766,92


7,5


1.539,70




De 30.766,93 até 41.023,08


15,0


3.847,22




De 41.023,09 até 51.259,08


22,5


6.923,95




Acima de 51.259,08


27,5


9.486,91




Edição: Davi Oliveira
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Espalhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário




Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni