Dólar fecha semana com desvalorização de 3,39%

6 de setembro de 2013

Economia



Dólar fecha semana com desvalorização de 3,39%
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/dolar-fecha-semana-com-desvalorizacao-de-339
Sep 6th 2013, 19:24

Stênio Ribeiro

Repórter da Agência Brasil

Brasília – O dólar fechou hoje (6) com queda de 0,71%, cotado a R$ 2,308 para venda. Com isso, a moeda americana encerrou a primeira semana de setembro com desvalorização de 3,39%. No ano, porém, o dólar mantém valorização de 12,69%.
Foi o quinto pregão seguido de queda na cotação do dólar, provocada, principalmente, pelos leilões diários do Banco Central (BC) para aumentar a liquidez do mercado cambial. Hoje mesmo, no fim da manhã, o BC ofereceu US$ 1 bilhão das reservas internacionais para venda com recompra futura.
Essa estratégia ganhou o reforço da notícia de criação de 169 mil empregos em agosto nos Estados Unidos, abaixo das expectativas dos analistas financeiros, que veem no baixo ritmo de retomada da atividade econômica indício de que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central norte-americano) deve retardar a redução do estímulo de US$ 85 bilhões mensais na economia do país.
A notícia contribuiu também para alavancar o mercado de ações, no Brasil e na Europa, principalmente. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), teve alta de 2,67% no pregão de hoje, atingindo 53.749 pontos. Na semana, houve alta de 7,48%, mas, no acumulado do ano, há perda de 11,82%.
Edição: Nádia Franco
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Mais dois estados do Nordeste obtêm status de áreas livres de aftosa com vacinação

Economia



Mais dois estados do Nordeste obtêm status de áreas livres de aftosa com vacinação
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/mais-dois-estados-do-nordeste-obtem-status-de-areas-livres-de-aftosa-com-vacinacao
Sep 6th 2013, 18:41

Mariana Branco

Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, assinou hoje (6) instruções normativas reconhecendo Alagoas e Rio Grande do Norte como áreas livres da febre aftosa com vacinação. Os estados eram os últimos de um grupo de sete para os quais o órgão havia anunciado que concederia o status. Ao longo da semana, Andrade havia assinado documentos atestando a segurança sanitária do Ceará, do Maranhão, da Paraíba, de Pernambuco e do Piauí.
No início de agosto, o Ministério da Agricultura reconheceu o norte do Pará como zona livre da doença. A partir de agora, o estado passou a ser considerado seguro em sua totalidade, já que somente o centro-sul do estado era reconhecido como livre de risco. Agora, 24 estados têm o status sanitário favorável. Deles, Santa Catarina é o único livre de aftosa sem necessidade de vacinação, desde 2007.
Após o atestado do Ministério da Agricultura, o próximo passo é buscar o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que dá o aval internacional às novas áreas. A solicitação será feita em outubro e a expectativa é que o certificado da OIE seja obtido em maio do ano que vem.
O objetivo do Brasil é obter da entidade o status de país livre da doença até 2015. Para isso, é preciso esforço para imunizar os rebanhos bovinos do Amapá, de Roraima e de parte do Amazonas. As três áreas ainda são consideradas de alto risco.
Edição: Nádia Franco
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Governo estabelece regras para leilões de café

Economia



Governo estabelece regras para leilões de café
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/governo-estabelece-regras-para-leiloes-de-cafe
Sep 6th 2013, 17:45

Mariana Branco

Repórter da Agência Brasil
Brasília – Uma portaria publicada hoje (6) no Diário Oficial da União pelos ministérios da Fazenda e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estabelece as regras para o lançamento do contrato de operações de venda de café. Por meio do contrato, que visa a ajudar na manutenção dos preços e socorrer o setor cafeeiro em um momento de crise, o governo federal se propõe a comprar dos produtores 3 milhões de sacas de 60 quilos a R$ 343 cada, preço válido para 31 de março de 2014.
O contrato será executado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que fará três leilões e usará recursos do orçamento das chamadas operações oficiais de crédito no valor de R$ 1,050 bilhão. Os preços do café estão em queda no mercado internacional e doméstico. A grande oferta do grão derrubou os valores no mercado externo.
No Brasil, produtores dizem que o preço mínimo não cobre os custos de produção. Em maio, o governo federal elevou de R$ 261,69 para R$ 307 o preço mínimo da saca de 60 quilos do café arábica. Na avaliação dos cafeicultores, o aumento não foi suficiente.

Edição: Juliana Andrade
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Receita cria sistema que unifica fiscalização do Simples Nacional

Economia



Receita cria sistema que unifica fiscalização do Simples Nacional
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/receita-cria-sistema-que-unifica-fiscalizacao-do-simples-nacional
Sep 6th 2013, 17:13

Wellton Máximo

Repórter da Agência Brasil

Brasília – A partir de hoje (6), a Receita Federal e os órgãos tributários estaduais e municipais poderão fiscalizar, em conjunto, o pagamento das parcelas do Simples Nacional. Começou a funcionar, em todo o país, o Sistema Único de Fiscalização e Contencioso do Simples Nacional.
Por meio do novo programa, as administrações tributárias poderão lançar, em um único auto de infração, as dívidas relativas aos oito tributos que compõem o Simples Nacional. De acordo com a Receita, 7,7 milhões de micro e pequenas empresas estão inscritas no regime simplificado de pagamento de tributos.
Em agosto, a Receita começou a testar o sistema nas Secretarias de Fazenda de três estados: São Paulo, Rio Grande do Sul e Sergipe. Também foram realizados testes nas Secretarias de Finanças dos municípios de São Paulo, Belo Horizonte e Rondonópolis (MT) e nas Delegacias da Receita Federal de Salvador, Londrina, no Paraná, e Uberlândia, em Minas Gerais.
Os fiscais estaduais e municipais estão sendo treinados e habilitados pelo Comitê Gestor do Simples Nacional. Segundo a Receita, a fiscalização unificada representa um grande avanço na gestão dos créditos tributários do regime especial de tributos.
Criado em 2007, o Simples Nacional é um regime simplificado de tributação que beneficia micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões. Em uma única guia, o empresário paga seis tributos federais, mais o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que é administrado pelos estados, ou o Imposto Sobre Serviços (ISS), de responsabilidade dos municípios.
Edição: Nádia Franco
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

IR: chega a R$ 1,4 bilhão volume de restituições do quarto lote

Economia



IR: chega a R$ 1,4 bilhão volume de restituições do quarto lote
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/ir-chega-r-14-bilhao-volume-de-restituicoes-do-quarto-lote
Sep 6th 2013, 12:46

Daniel Lima

Repórter da Agência Brasil
Brasília - O volume total de recursos das restituições do Imposto de Renda Pessoas Física que será liberado no banco no dia 16, chega a R$ 1,4 bilhão, para 1.351.333 contribuintes. Segundo a Receita Federal, desse total, R$ 98.337.048,16 refere-se a declarações de idosos e pessoas com alguma deficiência física ou mental e moléstia grave. Serão liberados também lotes de anos anteriores, que caíram na malha fina a partir de 2008. A consulta será liberada na segunda-feira (9).
Para o exercício de 2013, serão creditadas restituições para um total de 1.321.834 contribuintes, com correção de 3,64%. No caso do exercício de 2012, serão pagas restituições para um total de 16.298 contribuintes, com correção de 10,89%.
Do exercício de 2011, serão creditadas restituições para um total de 5.960 contribuintes, corrigidas em 21,64% e, do exercício de 2010, serão pagas restituições para 4.389 pessoas, corrigidas em 31,79%. O lote de 2008 tem 2.604 contribuintes, com correção de 40,25%, e o de 2008 tem 248 contribuintes, sendo a correção de 52,32%.
Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet, ou ligar para o Receitafone 146. A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smarthphones que usam os sistemas operacionais Android e iOS, que facilitam a consulta.
O valor da restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate no prazo, deverá requerê-la pela, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.
A Receita informa também que, caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais) e 0800-729-0001 (demais localidades) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.



Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Custo de vida tem alta de 0,09% em agosto, mostra Dieese

Economia



Custo de vida tem alta de 0,09% em agosto, mostra Dieese
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/custo-de-vida-tem-alta-de-009-em-agosto-mostra-dieese
Sep 6th 2013, 12:50

Camila Maciel

Repórter da Agência Brasil
São Paulo - O custo de vida na capital paulista registrou leve alta de 0,09% em agosto, aponta pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A variação é a mesma verificada em julho. O Índice de Custo de Vida (ICV) mostra que o maior acréscimo ocorreu no grupo saúde (0,65%), com destaque para os aumentos na assistência médica (0,8%). Em seguida, estão os custos com habitação (0,04%).
Na saúde, a alta é consequência principalmente dos preços de seguros e convênios (0,90%), exames laboratoriais (0,54%) e consultas médicas (0,42%). No grupo habitação, os custos com conservação do domicílio (0,96%) foram os que mais pesaram no resultado. Os gastos com impostos, condomínio e locação apresentaram taxa de variação de 0,26%.
O grupo alimentação, por sua vez, não variou neste mês. Os itens indústria alimentícia (0,69%) e alimentação fora do domicílio (0,55%) registraram taxas positivas, que foram compensadas pela retração dos produtos in natura e semielaborados (-0,80%). Nesse subgrupo, as maiores quedas ocorreram nos itens raízes e tubérculos (-9,76%), com destaque para a cebola (-18,30%), batata (-9,50%), os grãos (-2,90%) e legumes (-2,31%). O leite in natura, entretanto, teve aumento de 1,89%.
Dois grupos tiveram taxas negativas nesta apuração do ICV: transporte, com -0,15%, e equipamentos domésticos, com -0,39%. Os destaques foram a redução do preço da gasolina (-0,40%) e do álcool (-1,39%) e o custo com móveis (-2,31%).
No cálculo por faixa de renda, o ICV revela que, em agosto, as taxas do custo de vida foram crescentes em relação ao poder aquisitivo. Para as famílias paulistanas de menor rendimento médio (R$ 377,49), houve queda de -0,05%. Para as de nível intermediário (R$ 934,17), a taxa ficou em 0,03% e para as de maior poder aquisitivo (R$ 2.792,90) houve elevação de 0,16%.
Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

CNI aponta redução no ritmo de crescimento dos custos industriais

Economia



CNI aponta redução no ritmo de crescimento dos custos industriais
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/cni-aponta-reducao-no-ritmo-de-crescimento-dos-custos-industriais
Sep 6th 2013, 12:21

Da Agência Brasil
Brasília - O ritmo de crescimento dos custos industriais manteve a tendência de desaceleração iniciada ao fim de 2012, informou hoje (6) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Custos Industriais (ICI) aumentou 2% no segundo trimestre deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2012. No primeiro trimestre de 2013, a expansão ficou em 5,8%, e de outubro a dezembro do ano passado, em 6,6%.
Segundo a CNI, a menor taxa de crescimento do ICI deve-se, sobretudo, às reduções nos custos com energia elétrica, capital de giro e tributos. No segundo trimestre deste ano, comparado com igual período de 2012, o custo com energia elétrica recuou 16,1%, o com capital de giro 5,7% e o com tributos 5,3%.
O indicador também mostra que o custo com pessoal voltou a apresentar taxa de crescimento de dois dígitos (10,1%). Ainda segundo a CNI, os bens intermediários (insumos e matérias-primas) também seguem contribuindo para o aumento dos custos industriais. No entanto, o ritmo de crescimento desses custos foi menor no segundo trimestre de 2013, com um crescimento de 4,4%, contra 9,9% no primeiro, ambos em comparação com iguais trimestres de 2012.
Edição: Davi Oliveira
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Leite e refeição fora de casa foram os que mais contribuíram para a inflação em agosto

Economia



Leite e refeição fora de casa foram os que mais contribuíram para a inflação em agosto
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/leite-e-refeicao-fora-de-casa-foram-os-que-mais-contribuiram-para-inflacao-em-agosto
Sep 6th 2013, 11:00

Vitor Abdala

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O leite longa vida e a refeição fora de casa foram os itens que mais contribuíram para a alta da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em agosto. Juntos, esses dois itens responderam por um terço da inflação. A taxa do IPCA passou de 0,03% em julho para 0,24% em agosto.
De acordo com dados divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço do leite subiu 3,75% em agosto. "Esse é um período de entressafra. Além disso, os produtores vêm argumentando que houve problemas nas pastagens, por causa do frio e das chuvas, e que o preço estava defasado. Também houve aumento da demanda e pode ter havido um efeito do dólar na ração [do gado], por exemplo", disse a coordenadora do Índice de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.
Já a refeição fora de casa teve alta de preços de 0,76% em agosto. Segundo Eulina, esse item vem agregando, aos poucos, a alta dos alimentos, que, apesar de ter registrado inflação de apenas 0,01% em agosto, acumula altas de 5,68% no ano e de 10,46% nos últimos 12 meses.
Além do leite, a alta do dólar teve impactos em outros alimentos em agosto, principalmente naqueles que usam o trigo como insumo, como o pão francês (com inflação de 1,56%), farinha de trigo (2,68%) e pão doce (1,43%). Com isso, houve impacto também no café da manhã fora de casa, que teve alta de 1,53%.
Os alimentos voltaram a subir em agosto (0,01%), depois de registrar deflação (queda de preços) de 0,33% em julho. Como houve uma alta de 0,34 ponto percentual na taxa, os alimentos, que respondem por quase um quarto do orçamento das famílias brasileiras, contribuíram para a alta do IPCA.
Outros itens que tiveram contribuição importante para a alta do IPCA foram os planos de saúde (0,94%), aluguel residencial (0,74%), recreação (0,8%), empregado doméstico (0,53%) e mobiliário (1,22%).
Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Emprego na construção civil cresce 0,19% em julho

Economia



Emprego na construção civil cresce 0,19% em julho
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/emprego-na-construcao-civil-cresce-019-em-julho
Sep 6th 2013, 10:25

Flávia Albuquerque

Repórter da Agência Brasil
São Paulo – O setor da construção civil abriu 6,5 mil vagas em julho, o que representou crescimento de 0,19% em relação ao mês anterior, segundo pesquisa feita pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em relação a julho do ano passado, o desempenho indica desaceleração, já que naquele período foram registradas 28,1 mil contratações, ou mais 0,84%.
De acordo com o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, os níveis de emprego ficaram abaixo dos verificados há um ano. "A evolução do nível de emprego denota crescimento bastante modesto, tanto em obras imobiliárias quanto de infraestrutura".
No acumulado do ano até julho, o nível de emprego na construção civil registrou alta de 3,62%, com a contratação de 122,1 mil trabalhadores. Com relação ao mesmo período do ano anterior, houve desaceleração, já que entre janeiro e julho de 2012 foi registrado acréscimo de 6,98%, com 221,5 mil contratações.
Nos últimos 12 meses (encerrados em julho) verificou-se queda de 0,10%, o equivalente a 3.610 demissões. "O enfraquecimento do crescimento do emprego é ainda mais flagrante se comparado ao desempenho registrado nos 12 meses encerrados em julho de 2012, quando o setor acumulava alta de 6,41%, com 204,4 mil contratações", analisa o SindusCon-SP.
De acordo com a pesquisa, no fim de julho o setor empregava 3,495 milhões de trabalhadores em todo o país. No Sudeste, o número de contratados chegou a 1,768 milhão, seguido pelo Nordeste, com 725,5 mil; o Sul, com 492,6 mil; o Centro-Oeste, com 288,6 mil, e o Norte, com 220,7 mil.
No Estado de São Paulo, a construção civil somou, em julho, 899,1 mil funcionários formais, o que corresponde a uma queda de 0,17% ante junho. Segundo os dados, foram eliminadas em julho 1.570 vagas. Das 10 regiões pesquisadas, o nível de emprego no setor registrou crescimento somente na capital paulista, com a contratação de 1.703 trabalhadores, em Ribeiro Preto, com mais 103, e em Presidente Prudente, com mais 347.
No acumulado do ano até julho, as empresas de construção civil de São Paulo contrataram mais 32,4 mil trabalhadores, um aumento de 3,74%. Na comparação com os últimos 12 meses, o estado registrou mais 3,1 mil contratações (+0,35%).
Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil





You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Estão abertas inscrições para o Simbracs 2013

Economia



Estão abertas inscrições para o Simbracs 2013
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/estao-abertas-inscricoes-para-simbracs-2013
Sep 6th 2013, 10:26

Da Agência Brasil
Brasília - Estão abertas as inscrições para o Simpósio Brasileiro de Políticas Públicas para Comércio e Serviços (Simbracs) 2013. O encontro ocorre em Brasília nos dias 12 e 13 de novembro, no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, e faz parte das ações do Plano Brasil Maior e do Plano Plurianual do governo federal para fortalecer o setor.
De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o Simbracs terá como objetivo fortalecer as políticas públicas que promovam a inovação, a competitividade e a internacionalização do setor terciário brasileiro, com foco no bem-estar do consumidor. Haverá também um espaço para a exposição de soluções inovadoras.
Além do ministério, está envolvida na organização do seminário a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Participam do Simbracs representantes dos governos federal, estaduais e municipais, do Legislativo, entidades do setor privado e dos trabalhadores, empresários, acadêmicos e convidados internacionais.
Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Custo da construção civil fica 0,58% mais alto em agosto, diz IBGE

Economia



Custo da construção civil fica 0,58% mais alto em agosto, diz IBGE
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/custo-da-construcao-civil-fica-058-mais-alto-em-agosto-diz-ibge
Sep 6th 2013, 09:41

Vitor Abdala

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) registrou inflação de 0,58% em agosto deste ano, depois de deflação (queda de preços) de 6,15% em julho, segundo dado divulgado hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O custo do metro quadrado da construção ficou em R$ 840,76 em agosto. A alta foi puxada principalmente pelo custo da mão de obra, que aumentou 0,86% e chegou a R$ 377,73 por metro quadrado. Já os materiais de construção ficaram 0,35% mais caros, passando a custar R$ 463,03 por metro quadrado.
O Sinapi registra deflações de 1,74% no acumulado do ano e de 0,51% no acumulado dos últimos 12 meses.
Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Produção industrial fica menor em julho em nove dos 14 estados pesquisadas pelo IBGE

Economia



Produção industrial fica menor em julho em nove dos 14 estados pesquisadas pelo IBGE
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/producao-industrial-fica-menor-em-julho-em-nove-dos-14-estados-pesquisadas-pelo-ibge
Sep 6th 2013, 10:10

Vinícius Lisboa

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - A produção industrial de julho apresentou queda em relação a junho em nove dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou hoje (6) os dados regionais da Pesquisa Industrial Mensal. O recuo mais acentuado foi registrado em São Paulo, onde a produção teve recuo de 4,1%.
A retração da indústria paulista foi a mais intensa desde setembro de 2011 (-5,4%). Na comparação com o mesmo período do ano passado, no entanto, houve alta de 0,2%, contribuindo para o crescimento acumulado de 2,5% em 2013 sobre 2012. Nos últimos doze meses, a produção do setor subiu 1%.
As quedas em relação a junho foram constatadas em toda a Região Sudeste, mas com menor intensidade.O Rio de Janeiro (-0,1%), Espírito Santo (-0,9%) e Minas Gerais (-0,7%) recuaram na comparação com o mês anterior, mas a indústria fluminense, assim como a paulista, conseguiu um resultado positivo, quando considerado o percentual de 2012 (de 2,1%). Entre os estados da região, o Espírito Santo tem as maiores quedas acumuladas, tanto em 2013 (de 8,7%), quanto nos últimos 12 meses, de 7,8%.
A indústria do Pará foi a que mais cresceu em julho em relação ao mês anterior, com 3% de alta. Na comparação interanual, o avanço foi menor, de 0,4%, e as taxas acumuladas de janeiro a julho e nos últimos doze meses são negativas, de 8,6% e 5,9%. O outro estado pesquisado da Região Norte, Amazonas, caiu 0,9% sobre junho, subiu 10,2% em relação a julho de 2012 e acumula alta de 3,3% em 2013.
O Nordeste registrou queda de 0,3% na comparação com junho, mas avançou 5,6% sobre julho. Na região estão os dois dos outros estados que tiveram alta da produção – Ceará (1,5%) e Bahia (0,5%). De outras áreas do país, Paraná (1,9%) e Goiás (1,3%) completam a lista de estados com crescimento da produção industrial sobre junho.
Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Atualizada - Inflação oficial fica em 0,24% em agosto

Economia



Atualizada - Inflação oficial fica em 0,24% em agosto
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/atualizada-inflacao-oficial-fica-em-024-em-agosto
Sep 6th 2013, 09:00

Vitor Abdala

Repórter da Agência Brasil
Brasília - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, fechou agosto com taxa de 0,24%. Em julho, a taxa havia sido de 0,03%. Já em agosto do ano passado, o IPCA ficou em 0,41%. O dado foi divulgado hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
As principais contribuições para a inflação de agosto vieram das altas de preços de 0,57% no grupo de despesas com habitação e 0,45% com saúde e cuidados pessoais. Os alimentos, que haviam registrado deflação (queda de preços) de 0,33% em julho, tiveram alta de 0,01% em agosto.
Os transportes continuaram apresentando deflação, embora em ritmo menor, com queda de preços de 0,06%. Em julho, a diminiuição havia sido de 0,66%.
O IPCA acumula taxas de 3,43% no ano e de 6,09% nos últimos 12 meses. O IPCA de 12 meses é o menor desde dezembro de 2012, quando havia sido 5,84%, e se mantém abaixo do teto da meta de inflação do governo, de 6,5%.
Edição: Talita Cavalcante
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Com taxa de 0,16%, INPC volta a registrar inflação em agosto

Economia



Com taxa de 0,16%, INPC volta a registrar inflação em agosto
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-06/com-taxa-de-016-inpc-volta-registrar-inflacao-em-agosto
Sep 6th 2013, 09:24

Vitor Abdala

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias com renda até cinco salários mínimos, ficou em 0,16% em agosto. O índice voltou a registrar inflação depois de uma queda de preços de 0,13% em julho. Apesar disso, ainda ficou abaixo de 0,24% medido pela inflação oficial, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em agosto.
Assim como no IPCA, a alta do INPC foi puxada pela inflação nos grupos habitação (0,52%) e saúde e cuidados pessoais (0,41%), além dos artigos de residência, com taxa de 0,83%.
Os alimentos continuaram com queda de preços (-0,14%), embora em ritmo menor do que em julho (que havia registrado taxa de -0,4%). Também em deflação (queda de preços) em agosto aparecem os transportes (-0,11%).
Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92



Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni