BNDES vai construir prédio anexo ao edifício-sede no centro do Rio

6 de janeiro de 2014

Economia



BNDES vai construir prédio anexo ao edifício-sede no centro do Rio
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-06/bndes-vai-construir-predio-anexo-ao-edificio-sede-no-centro-do-rio
Jan 6th 2014, 18:52


Alana Gandra

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai construir um prédio anexo à sua sede na Avenida Chile, no centro do Rio. De acordo com o superintendente da Área de Administração do banco, Carlos Roberto Haude, a construção do anexo é resultado do aumento das atividades do banco e da ampliação de suas áreas de atuação. Segundo ele, há cerca de quatro anos, a equipe técnica da instituição vem trabalhando no projeto.
Em 2002, o banco tinha 1,8 mil empregados e desembolsos de R$ 45 bilhões. No ano passado, os funcionários somavam 2,8 mil, entre próprios e terceirizados, do total de 2,814 mil autorizados pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest), e os desembolsos atingiram R$ 190 bilhões. "Aumentamos quantitativamente o pessoal em 60% e os desembolsos do banco em 400%", disse Haude.
O superintendente assegurou que a construção do prédio significará vantagens econômico-financeiras para o BNDES que, atualmente, gasta R$ 6 milhões mensais com o aluguel de salas em 18 andares do Edifício Ventura, situado na Avenida Chile, próximo à sede. Haude destacou que foi considerado também no projeto o valor de mercado do anexo, que seria incorporado ao patrimônio da instituição. Cálculos preliminares indicam que esse valor poderia alcançar hoje R$ 544 milhões.
"Não haverá interferência do novo prédio com o complexo do Morro de Santo Antonio", disse. Estudos geotécnicos confirmaram que a construção não oferecerá riscos para o Convento de Santo Antonio, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1938.
No próximo dia 27, o BNDES promoverá audiência pública sobre a construção do anexo, que ficará localizado em área próxima ao complexo do Morro Santo Antonio, no centro do Rio de Janeiro, entre a Avenida Paraguai e o Largo da Carioca, e contígua à sede do banco, na cidade. Com total de 3.866,62 metros quadrados, o terreno pertence 38% à Fraternidade Franciscana, formada por leigos católicos privados, e 62% ao banco.
O anexo será interligado à sede, vai aproveitar vazios urbanos da área central da cidade e viabilizará a criação de uma área, que está sendo chamada de Caminho de São Francisco. Ela facilitará o acesso regular das pessoas ao Convento de Santo Antonio e aos oito templos que integram o complexo, a partir da Avenida Paraguai. A obra permitirá ao BNDES concentrar em um único endereço todos os empregados que trabalham na cidade.
Em maio do ano passado, a Câmara de Vereadores do Rio aprovou projeto de lei permitindo edificação no local com 42 metros acima do nível do mar, alterando, assim, o gabarito anterior de 12,5 metros. Isso fará com que o prédio anexo não ultrapasse a cúpula da Igreja de São Francisco, que faz parte do complexo do Morro de Santo Antonio. Haude esclareceu que, como o meio-fio está a cerca de 9 metros do nível do mar, o anexo poderá ter nove andares superiores e mais cinco andares de subsolo, onde funcionarão a infraestrutura do edifício e as garagens.
Pela mudança do gabarito, o BNDES pagará em contrapartida à prefeitura do Rio R$ 50 milhões. Esses recursos, não reembolsáveis, serão aplicados na manutenção de equipamentos públicos e em projetos culturais, que deverão ser aprovados e ter sua execução acompanhada por um grupo de prédios da região, de forma colegiada, informou Haude. A obra tem custo total estimado de R$ 284 milhões, incluindo a contrapartida que será paga à prefeitura.
Em fevereiro, o banco lançará concurso nacional para escolher projeto arquitetônico para o anexo. Segundo o superintendente, o objetivo é promover a arquitetura de qualidade no país, além de fomentar a indústria da construção civil. "O concurso vai revelar novos talentos e novas tecnologias", disse Haude. O projeto terá de atender a princípios de sustentabilidade, com tratamento paisagístico integrado com os jardins de Burle Marx no edifício-sede.
Pelo terreno da Fraternidade Franciscana, orçado após duas avaliações à média de R$ 34,611 milhões, o BNDES pagará parte do valor em 24 parcelas trimestrais de R$ 206 mil durante 72 meses. Como pagamento restante, a Fraternidade terá 5,46% do anexo. O administrador da Igreja de São Francisco da Penitência e do Museu Sacro, Carlos Pinheiro, informou que a Fraternidade receberá do banco um aluguel mensal necessário à sustentação das obras do complexo. O contrato firmado com o banco tem vigência de 30 anos, prevendo-se renovação.
A obra deverá ser iniciada no fim de 2016, com conclusão prevista para 2019.

Edição: Aécio Amado
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Espalhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário




Explore os canais Ouni

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade"

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni